Tribunal iraniano quer obrigar cristão a renunciar à fé

Youcef Nadarkhani

Youcef Nadarkhani poderá ser executado se insistir em manter a fé cristã.

O supremo tribunal do Irão revogou a condenação à morte de um pastor evangélico iraniano, acusado de apostasia, mas disse que a sua decisão dependia da renúncia do arguido à fé cristã.

Youcef Nadarkhani liderava uma comunidade de cerca de 400 cristãos na cidade de Rasht, no Irão, até à sua detenção em Outubro de 2009.

Uma vez que nasceu numa família muçulmana, tendo-se convertido aos 19 anos, Nadarkhani foi acusado de apostasia, isto é, de renunciar ao Islão para abraçar outra religião. A apostasia não é um crime no código penal iraniano, embora haja um projecto-lei nesse sentido no parlamento, mas o direito estipula que em casos em que o código penal não abranja um determinado crime, os juízes devem recorrer à lei islâmica que, no entender de alguns, estipula que quem renuncia ao Islão deve ser morto.

Nadarkhani foi condenado à morte pelos tribunais de primeira instância mas recorreu da decisão. Agora o supremo tribunal revogou a condenação, mas disse que, se o acusado não renuncie à sua conversão, o caso será enviado de volta para os tribunais menores.

Actualmente Nadarkhani está detido, sem direito a visitas. Fontes cristãs do país garantem que não faz tenções de renunciar ao Cristianismo.

O Irão é uma teocracia islâmica xiita, cuja lei está assente na Sharia, pelo menos segundo a interpretação dos Ayatollahs, os mais altos clérigos.

O Cristianismo, Judaísmo e mais algumas religiões são toleradas entre as populações que historicamente as praticam, mas qualquer conversão de um muçulmano a outra religião é absolutamente proibida.

Há cerca de 300 mil cristãos no Irão, a maioria dos quais pertence à Igreja Ortodoxa Arménia. A Igreja Assíria do Oriente e a Igreja Católica Caldeia também têm alguns milhares de fiéis. Uma vez que qualquer actividade missionária destas igrejas é impedida pelo Estado, esse campo fica aberto para confissões protestantes, evangélicas, como a Igreja do Irão, a que pertence Nadarkhani.

fonte RR
Anúncios

About Fundacao AIS

Organização internacional católica, dependente da Santa Sé, cuja missão é ajudar os cristãos perseguidos por causa da sua fé. Procura estar atenta às várias situações de necessidade destes cristãos, particularmente a falta de liberdade religiosa. Para isso, publica periodicamente um Observatório sobre a Liberdade Religiosa no Mundo www.fundacao-ais.pt/

One response to “Tribunal iraniano quer obrigar cristão a renunciar à fé”

  1. saagsudr says :

    No islam, maomé até assassinou allah

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: